domingo, 19 de dezembro de 2010

TESTEMUNHO



Provérbios 30-31
"Palavras de Lemuel, rei de Massa*, que lhe ensinou sua mãe. Ah! meu filho! Ah! filho de minhas entranhas! Ah filho de minhas promessas! Não entregues teu vigor ás mulheres promessas! Não entregues teu vigor ás mulheres*, nem tua conduta  ás corruptores dos reis! Não convém aos reis, ó Lemuel, não convém aos reis beber vinho,  nem aos governantes  desejar licores, pois, se beberem, vão esquecer as leis e descuidar do direito de todos os pobres. Que se dê licor ao que vai morrer  e vinha aos amargurados! Bebendo, esquecerá sua miséria e já não se  lembrará do seu penar. Abre tua boca  em favor do mudo, pela causa de todos os  desvalidos! Abre tua boca e dá sentença justa, e faze justiça ao pobre e ao indigente.! “

Eu particularmente nunca abrir a boca para falar da minha infância complicada, e tive a enorme vontade de falar, ou melhor, compartilhar o meu testemunho de vida ao relembrar tudo com a minha irmã e ao ler esse trecho na bíblia.  Quando era pequena, mais ou menos sete pra oito anos, fui entre parênteses o inferno da minha casa, e não fui uma criança, apesar de ter muitos brinquedos, muitos amigos, uma escola ótima, e uma família que me ama. Mas vou dizer o porquê eu fui um inferno, e nunca tive coragem de contar a ninguém, nem mesmo a minha mãe, pois tinha medo de ser motivo de gozação entre a turma. Mas nesse tempo não era eu! Confesso a vocês que eu via várias imagens brancas que insistia que eu fizesse coisas ruins, nesse período, me revoltei e não queria ir a escola, quase acabei com o casamento dos meus pais, minha irmã já não gostava mais de mim, e aquilo foi me dando mais raiva, ao ponto de pegar facas, me bater ou ate mesmo me cortar, isso e muito mais que eu fiz não foi porque eu queria, e sim porque eu era controlada,  controlada por algo que era mais forte do que eu. Minha mãe tentou mudar me ajudar, foram cinco tentativas. A tentativa um – foi um presente, a dois- foi um carro, pra pegar/deixar na escola, a três- um celular, a quatro – foi a uma surra que eu levei, que confesso não ter sentido dor alguma, era como se a minha alma não estivesse em mim, estivesse apenas assistindo aquilo tudo, e chorando por ver que tudo que tava acontecendo na minha casa, seria por minha causa. Daí então chegou à última tentativa, na qual Mainha se ajoelho em plena madrugada, e entregou tudo no colo de nossa senhora, pois já não agüentava mais tudo aquilo, até que ela mandou mainha sair de casa, outro conflito surgiu.  Até que no Domingo, eu vi uma enorme luz e decidir ir até a igreja, outra coisa para dizer, na qual não contei a ninguém, fui até a catequese, e em seguida fui até a matriz, onde eu chorei muito e encontrei uma mulher, dos cabelos bonitos, mais nunca tinha visto ela em canto algum. Na minha concepção foi Maria. Daí então ela me disse que eu seria a luz e a salvação do mundo *-*,  voltei pra casa, e encontrei a minha mãe sentada na cadeira, e pedi com os olhos cheios de lagrimas apenas um beijo dela,  e pedi desculpa por tudo que eu tinha feito, e disse a ela que aparte daquele dia eu seria a DEISE dela,  isso mesmo , a Deise , uma menina linda, calma ,  de bem com a vida,  uma menina pronta pra servir ao senhor e a nossa mãezinha santíssima,  transbordando pelo rosto a minha simpatia e o meu sorriso comovente... Uma música que marcou a minha vida, e vai marcar a de muitos de vocês... é essa... Quero que valorize o que você tem você é um ser você é alguém tão importante para Deus nada de ficar sofrendo angústia e dor neste seu complexo interior dizendo às vezes que não é ninguém Eu venho falar do valor que você tem (­bis) Ele está em você o Espírito Santo se move em você até com gemidos
Inexprimíveis inexprimíveis Aí você pode então perceber que prá Ele há algo importante em você Por isso levante e cante exalte ao Senhor Você tem valor o Espírito Santo se move em você ♪   Espero que tenha gostado do meu testemunho, que tenha se sentido tocado, e espero que você tenha fé, e entregue tudo nas mãos do senhor que o mais ele fará por você!

Nenhum comentário:

Postar um comentário